quarta-feira, 2 de julho de 2014

Salve Helvetia!



Poema feito no dia do jogo Suíça vs. Argentina na Copa FIFA 2014 no Brasil

É o chocolate suíço
E o queijo também
E a Liberdade impressiona até 
o Mark Twain

É a Liberdade da terra
Que é sem escravo nenhum
É a Genebra da Paz
com as armas em ``punhum``!

É a Suíça alemã, italiana e francesa
é o Forum de Davos
Economia e beleza!

E os Lagos tão belos e os gelos eternos,
fazem saber que a Suíça é o lugar!
E nos skates de gelo nas montanhas sem
fim, se lembra o skatista de degustar um ``fondim``

E o canivete suíço
E o relógio também
Fazem saber que a Suíça é a terra do amém!

E o hino que outrora cantava as belezas de Deus
E reformados que governavam na certeza dos seus
dão lugar à Cruz branca sobre o manto dos mártires!
Que a guarda suíça faz saber ao `` papadis``

E se a guerra sombria, poventura vier, a voz da Helvetia,
Tradição de paz. Dirá a todos cidadãos amados
livres tais como anjos alados
Fortes todos em seus direitos votados
mentes sãs com represantes exatos,
que são democratas e seus aliados:

Para a Paz, para paz, foi que nasceste!
E a tua Glória e Riqueza é para que vivas bem!

sexta-feira, 20 de junho de 2014

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Salmo de Sansão




Ainda que meus olhos estejam vazados

E meus cabelos curtos

Ainda que eu esteja diante da traição e da zombaria

Ainda que me levem para o templo dos pagãos

Ainda sim proferirei as Palavras de Deus

A minha fraqueza será força sobre o monte da hipocrisia

Não. De modo nenhum verás a última jóia do Tesouro!

Ela se te fará escondida, mas revelada para os sábios nos tempos de peculiar revelação

Ainda que me escravizem como pena por meus erros

E que ignorem minha antiga força

Ainda sim, levantarei as vistas que não tenho para as nuvens

O meu olhar será então somente Teu

E os ventres sinuosos já não me encherão os olhos

Eu poderei sentir as colunas do templo. Sim, eu poderei!

E matarei com contundência todos os meus inimigos! Todos os filisteus!

E dirão que fui perdido. Mas que Glória! Me encontrei!

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Que pese pop, cult e erudição


Uma série é pop

Mas um filme pode ser cult

E uma canção, erudita!

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Lembrança



Eu esqueci dos sons
Me esqueci das músicas
Enquanto me aperta o peito 
Me encobre a solidão.



Me lembro de coisas reluzentes
me lembro de notas barrocas
Me lembro de vozes bem doces
Me lembro do céu cor de céu



Eita sentimento!
Eita solidão!
Eita razão cristã!
Que me faz lembrar que não estou só.

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

O Blues






O Blues é desde a África

É feito do sangue de negros

de mãos fortes

É feito de lamento, tristeza e dor!

Causa estranheza que seja chamado de blues

Posto que não é azul, mas está posto que é
tristeza! Sim, é tristeza!

Ou Alegria, ou euforia, ou tanta coisa!

são as correntes de York marchando com os pés!

São os trens em vai-e-véns

É o grito da mulher

É o argumento do marido

Sõ porções de algodão tingidas de paixão, tingidas de vermelho.

São cantos fortes ao Senhor, filhos de spirituals...

Lord, Lord, touch my life!!!

É o estridente da guitarra

É o gutural dos velhos negros de chapéu no bar

O Blues é desde a África. Mas também é irlandês.

É escocês.

É alemão.

É holandês.

Talvez, mais inglês...

Do Tenesse ao Colorado

Do Mississippi a Chicago:

É tudo Blues! É tudo Blues!

terça-feira, 26 de novembro de 2013

À Imbecilidade





Ah, a imbecilidade de todas as coisas
A ignorância de todas as eras
Espíritos adolescentes que incorporam em rapazes e moças
Eu quisera exorciza-los, mas não pude!
Ah, o ato voluntário de não querer saber. De amar o erro;
De adorar o Escuro!



Ah, o cultivo perverso da perversa arrogância!
Ainda mais, erigido sobre uma terra tão pueril,
tão insossa e incabível em si mesma:
Ah, a imbecilidade!

Wittenberg

                                              


Do alto desta torre de marfim
Que é de Rocha e de compreensão
Eu prefiro ser hostil do que insincero.


Fica ao coração de quem ao lado está
Minha face mais dura, meu olhar mais ingrato!
Meu desejo é de bem-estar ao meu irmão:
De boa ventura! De cor, coração!


Só não posso é negar vera vereda
Ou enganaria quem perto está,
e que precisa de vida, e precisa de pão!

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Paradigma da Polaridade



``Eu sou Nada e é isso que me convém`` - Lobão

Me dizem louco por aí
Chato, estranho e tosco!
E eu, mesmo que me entristeça
Me rio sempre, Rio sempre de mim
E rio dos outros também
Das certezas infundadas
sobre areias movediças

às vezes calo, às vezes falo.
Da loucura que me dizem
me orgulho!
Ah, a loucura, berço das genialidades
Berço das potencialidades
Berço de berços de berços dos berços!

Lanço mão dela: loucura sábia;
e nela me embriago mais que o vinho!

Olho pro mar e não vejo um bêbado sequer
Um ao outro ao longe, verdade!
Mas poucos que fiquem de pé.

Eles ficam submersos no mar
e não tornam-se arautos da loucura,
digo, da sábia loucura!
Ficam reclusos a falar com estrelas marinhas
e águas-vivas.

Voltando ao chato que me acham
Me delicio naqueles que não me acham chato
Que encaram a estranheza com maior requinte
Que entendem que a tristeza é apetite para a Alegria

Regozijo-me e celebro com os inconformados
Com os cavalheiros e damas que celebram a Vida
Que vêem na estrada o reflexo do Sol
Que admiram o Céu
Que olham nos olhos!

Para os que sou nada
torno-me nada. Melhor para mim;
Invisível me vou para além das muralhas
Não salto os portões.
Como um bicho que cava, escavo
as terras secas e encontro água
como um réptil desses.

Refugio-me no abrigo da terra
e atravesso muros por sob o chão
E quando na cidade adentro
Me faço emergir sem holofotes

E ali, cidadão que sou
cumpro alguns protocolos
sem perder a transparência.
Não me isolo, de todo não me isolo!
Mas não faço coro em todas as canções
Insisto em cantar o que canto
e renitente subverto a lei dos homens
por lei maior

E como Nada, e da fraqueza força, do nada tudo
Instauro o amor.


#PensamentoOlaviano



``É por isso que não aceito a análise lógica como instrumento principal ou único da filosofia. Não se pode PARTIR da análise lógica. É preciso CHEGAR a ela pelo progressivo discernimento dos níveis anteriores. Se você não sabe DE ONDE foram abstraídos os conceitos abstratos, você os toma como fetiches e se enrola todo nos "problemas lógicos da segunda realidade", como dizia o Voegelin. Mentes treinadas em lógica, sem a devida preparação poética, retórica e dialética, são presas fáceis desse engano, porque saltam direto para a esfera dos nexos lógicos formais e acabam tomando o abstrato pelo concreto.`` - Olavo de Carvalho.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Contra a Musa




E anda ajoelhando-se diante da estátua

feita de bronze, ouro, ou de LCD

e ali adora a musa, prostrado e reclinado

Tocando-se de forma que não devia ser


Formando-se em imagem vil

Amando ventres e perfis

E imagens tortuosas

que implicam na beleza

Na beleza da nudez da esposa sua que inda não vem


E estando ali prostrado

Recorda o fato e o falo

Deste não se esquece

E fere-se alma´dentro;

deixando-se ficar canceroso no coração

Pois não tem força, adora as musas

e perde-se em paixão!


E fortalece a sua carne

E sua alma é perdição

E vive a vida imaginando

Mais prazer, mais diversão!




E morre em dia, e morre em vida

E cada moça, e cada louca, e até suas senhoras

são olhadas estranhamente

de uma forma alienígena, de uma forma diferente!



E obscuro o coração, perde o amor

Perde a paixão!

Aquela que é o brilho da vida!


Mas não contente, em aflição,

quebra tudo! A musa toda!

Faz da sereia, pó de areia!

Que é pra ver se há esperança.

Pra se amar, sem se vender!


Pra não pagar com ouro mais cartazes contumazes

Que é pra musa falsa se esquecer!


domingo, 25 de agosto de 2013

Duas poesias

O medo



O medo é de saber a estrada e não fazer o caminho

O medo é de saber a curva e não virar o volante

O medo é de saber o medo e não ter coragem

O medo é de ... Não sei mais de quê.

Ah! que se vá o medo!

* * *

Seres


Uns são aplicados

Outros educados

Muitos são cansados

Outros perturbados

Uns inteligentes,  outros estudados

E todos seres humanos.





segunda-feira, 29 de julho de 2013

Uma canção sobre o Amor




É voltar para Deus, que é melhor que eu faço

Se caí, se chorei, se desviei meu olhar

O Senhor qui está, pra amar, pra tocar, o meu coração



Ele não desiste dos seus, sua mão está estendida

Para o pecador. Ele não acusa, e só confronta

Que  é pra deixar voltar o Amor.

sábado, 27 de julho de 2013

Exposição





Estou exposto
Não há pronde fugir
E ninguém entenderá 
a alegria na minha nudez.
Estou livre!


domingo, 21 de julho de 2013

Guitarra do Céu



Deixar soar metálicas as seis cordas do celeste 

E ver se sai som que preste 

Se consigo traduzir pra cá o som que me vem de lá

Que é som de amor e céu.



#supremoamor

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Reperfeição

Que o amor de Deus em meu coração só se fortaleça e não decline jamais.

******

Que não caia meu Amor

como murcha a flor

Que dure para sempre

pois se traduz amor

que impulsione a vida este meu amor

pois é de eternidade este meu Amor.

segunda-feira, 10 de junho de 2013

O evangelho

O evangelho leva o homem à solidão

Leva-o ao deserto, mas dá-lhe coração.

terça-feira, 4 de junho de 2013

Lago calmo


O meu espírito agradece quando minha'lma  está tranquila.

O meu espírito engrandece o Rei como consequência do fato.

domingo, 26 de maio de 2013

Duas



São duas pessoas com lágrimas no coração

São duas pessoas carentes de si mesmas

buscando se achar um no outro.

Perdendo-se em falas e pensamentos.

Que Deus tenha misericórdia de quem

for assim. Porque por enquanto não

conheço ninguém.

Ainda


Se cego, clamarei

Ainda que manco, te seguirei

Se mudo, pensarei em ti

Se moribundo, chamarei o teu nome.